Histórias curtas

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Formatos disponíveis
14,40€ I
-10%
COMPRAR
-10%
14,40€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Esgotado ou não disponível.

SINOPSE

Neste seu novo livro, Rubem Fonseca opta de novo pela concisão, tal como fizera na coletânea Amálgama, vencedora do Prémio Jabuti 2015. Junta desta vez trinta e oito histórias curtas, por vezes curtíssimas, nas quais volta a abordar brilhantemente, de forma crua mas delicada, temas já recorrentes na sua obra mais recente: o envelhecimento, a obesidade, a loucura e todo o tipo de decadência humana.
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

Selecionado na lista de melhores livros de 2016 do jornal “Público”
Público
«Rubem Fonseca captura as suas histórias como alcança as personagens que lhe dão corpo e voz: implacavelmente. Violentos, crus e sujos como a vida, estes contos cheiram a sangue.»
Time Out Lisboa (5 estrelas)

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Poucas palavras bastam
Claudino Moura | 2017-12-21
Rubem Fonseca é o meu escritor preferido da língua portuguesa. Mordaz, sarcástico, sensível, atento, é um mestre da língua portuguesa. Ao ler Fonseca, esqueço que estou a ler um autor brasileiro, de tão português me parece (o que em nada desmerece outros autores brasileiros, mas que não me parecem portugueses). Ganhou o Prémio Camões há vários anos já. Lê-se com muita facilidade ou mesmo voracidade. Poucas palavras bastam para contar uma história, e é o caso nestes seus contos curtíssimos. Só um génio da língua conseguiria contar tanto em tão poucas palavras como Fonseca o faz. (PS - todos os livros de Rubem Fonseca são dignos de 5 estrelas!)

DETALHES DO PRODUTO

Histórias curtas
ISBN: 978-989-676-151-6
Edição/reimpressão: 04-2016
Editor: Sextante Editora (chancela)
Código: 07239
Idioma: Português
Dimensões: 152 x 235 x 16 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 168
Tipo de Produto: Livro
Nasceu em Juiz de Fora (Minas Gerais), no Brasil, a 11 de maio de 1925. É um dos mais prestigiados escritores brasileiros contemporâneos e um dos expoentes máximos da literatura de língua portuguesa. Traduzido em todo o mundo, foi galardoado com seis prémios Jabuti e, pelo conjunto da sua obra, com o Prémio Camões em 2003. Em 2015, recebeu o Prémio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras (ABL).
É autor de uma vasta obra narrativa, contista e romancista, que tem vindo a ser publicada em Portugal, desde 2010, pela Sextante Editora. Os romances Agosto e A Grande Arte são duas das suas obras incontornáveis, exemplos máximos da sua escrita sóbria e de um realismo «duro» que fez escola na literatura brasileira: «todas as palavras devem ser usadas», disse uma vez numa entrevista.
A Carne Crua — uma coleção de 26 contos inéditos, lançada em Portugal há precisamente um ano —, que viria a ser a sua derradeira criação, juntam-se atualmente no catálogo da Sextante os romances O Seminarista, Buffo & Spallanzani (Prémio Literário Casino da Póvoa do Correntes d’Escritas), A Grande Arte, Agosto e O Selvagem da Ópera, os livros de contos Calibre 22, Axilas & Outras Histórias Indecorosas, Histórias Curtas e Amálgama, e a autobiografia de infância intitulada José.
Rubem Fonseca faleceu no Rio de Janeiro a 15 de abril de 2020, vítima de um enfarte do miocárdio. Após a sua morte foi editado O Doente Molière.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK