A Editora

A Sextante apresenta hoje um catálogo editorial de cultura que começou a trilhar caminho em 2007, em busca de leitores pensantes, acreditando que o melhor desafio para uma editora era fazer bons livros. Sem descurar os tempos, as mudanças e os obstáculos naturais, eis-nos carregando felizes o fardo de passadores da coisa escrita. Cabeça nas nuvens e pés bem assentes no chão, como dizia Giangiacomo Feltrinelli, parece-nos uma boa atitude.

Acreditamos que nos compete uma batalha de raiz cultural tendo como pilar central a criação literária de autores portugueses e estrangeiros. Não se trata de dar exemplo. As editoras não têm de ser todas iguais e respeitamos claramente as opções dos outros editores. O mundo da edição é muito vasto e composto de editores de géneros muito diversos que se complementam. Nós, para os nossos livros, na companhia de muitos outros editores do passado e de hoje que admiramos, queremos leitores pensantes, prontos a experimentar a inquietação que um texto pode suscitar. Queremos leitores ávidos dos instrumentos para a vida e para a liberdade que um livro pode transportar.

Sabemos que é difícil esta escolha. Mas temos opinião e queremos fazê-la saber. A nossa política será encontrar bons livros e saber levá-los até aos leitores. Não se trata, de todo, de fazer livros maçadores e só passíveis de ler por eruditos: queremos que a grande criação, aquela que move os leitores, nos campos do romance, da poesia e da ensaística, seja fruto apetecível e jovial digerível pela generalidade dos leitores. Queremos, imodestamente, fazer livros que durem gerações.

Os nossos esforços estarão também sempre ao lado de quem luta pelo alargamento da leitura. Acreditamos que essa é uma batalha indispensável num país onde, provavelmente, metade da população adulta não é capaz de ler uma história de embalar a uma criança. 

A Sextante é pois casa de Leitura e de Cultura. Como estamos nos confins da Europa e falamos português adotámos como lema palavras de Vergílio Ferreira: «Da minha língua vê-se o mar.» Faz sentido que esta língua seja a ferramenta da nossa ação.

Desde 2010, a Sextante faz parte do Grupo Porto Editora.